25 de dez de 2017

Governo do Estado transfere gestão do Hospital de Lagarto para a Ebserh

Na noite da ultima quinta-feira, 21, o vice-governador Belivaldo Chagas oficializou, junto a diversas entidades e representantes, a transferência definitiva da gestão do Hospital Monsenhor Daltro (Hospital Regional de Lagarto) para a Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh). A assinatura de contrato se deu junto ao secretário de Estado da Saúde, José Almeida Lima; ao reitor da Universidade Federal de Sergipe (UFS), Ângelo Antoniolli; ao presidente da Ebserh, Kleber de Melo Moraes; ao superintendente da Ebserh em Lagarto, Valter Santana; e ao diretor de Atenção à Saúde da Ebserh, Arnaldo Correia de Medeiros.


Com a transferência, o processo de federalização da unidade hospitalar se aproxima da conclusão. Por dois anos, a gestão do Hospital Regional de Lagarto foi compartilhada entre a Fundação Hospitalar de Saúde (FHS) e a Ebserh, que agora assume por completo a administração. 

Uma das medidas da Ebserh durante o período de gestão compartilhada foi a realização de um concurso público em janeiro de 2017, voltado ao preenchimento de 714 vagas para profissionais de Saúde e técnicos-administrativos. Destes, 81 já foram convocados. Restam, ainda, 348 funcionários da FHS trabalhando no Hospital, sendo que estes serão substituídos pelos concursados ao longo do próximo ano.

O vice-governador ressaltou que o chamado aos aprovados no concurso deve ocorrer de forma célere. “A partir deste momento a administração do Hospital de Lagarto passa a ser feita pela Ebserh, e com isso os serviços serão ampliados. A expectativa é de que no decorrer de 2018 nós tenhamos mais contratações. A Ebserh já começou a contratar uma primeira parte. Dos pouco mais de 700 aprovados, entre 80 e 90 já foram convocados. Com isso, automaticamente, o Estado vai se retirando, passando a cuidar de outras unidades hospitalares e deixando a de Lagarto com a Ebserh e com a Universidade Federal de Sergipe”, afirmou.


Para Almeida Lima, a transferência de gestão significa um alinhamento de propósitos que beneficia a população. “Tão logo assumi a Secretaria de Estado da Saúde e a Fundação Hospitalar de Saúde, recebi a determinação deste governo de adiantar o procedimento para a concretização deste ato: a assinatura do contrato que transfere não apenas o imóvel da unidade, mas a gestão do Hospital de Lagarto, para a Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares. Tudo ocorreu diante da confluência de objetivos de atender uma demanda extremamente importante na área do ensino na universidade, no campus de Lagarto, voltado aos cursos de Saúde”, disse.

Na visão de Ângelo Antoniolli, a incorporação da gestão do Hospital de Lagarto pela Ebserh representa um passo em direção à transformação da unidade em um centro de excelência. “Hoje é um marco histórico para a saúde sergipana. Quando os gestores entendem a importância da universidade e da capacitação, é porque temos uma resultante apontando em uma mesma direção. Teremos em breve uma base de construção dos saberes das áreas da Saúde. Quando a universidade chega como uma escola, ela não está formando só alunos, está integrando ensino e serviços. Em breve, estaremos fazendo com que essa geração de saberes esteja focada nos problemas da sociedade, pois esse é o grande papel da universidade”, pontuou.

Segundo Kleber Moraes, a realização do concurso público pela Ebserh é uma prova do compromisso da entidade com a gestão do Hospital. “Existiu uma onda de que a absorção dos hospitais pela Ebserh faria faltar dinheiro para a Saúde e para a Educação. Então, expus ao Ministério da Educação (MEC) a necessidade de que se fizessem concursos públicos e de que eles fossem homologados. Hoje, não perdemos nenhum tostão de orçamento nem no MEC nem no Ministério da Saúde. Por isso, tenho o prazer de estar aqui hoje celebrando este contrato. Quero dizer, para tranquilizar a comunidade, que durante o ano de 2018, todos os concursados serão chamados”, garantiu.

A transferência de gestão foi feita seguindo uma pactuação de que a Ebserh deverá elevar o número de leitos no Hospital Regional de Lagarto para 155. Hoje, 70 leitos estão disponíveis. Ao longo de 2017, a Empresa investiu R$ 10 milhões em infraestrutura e na renovação do parque tecnológico.

Campus da Saúde

A transferência do Hospital Regional de Lagarto para a UFS foi autorizada pela Lei nº 7.916/2014. Com a federalização, a unidade poderá atender casos de alta complexidade, incluindo diversos tipos de cirurgia e serviços.

O Campus da Saúde conta com os cursos de Medicina, Enfermagem, Farmácia, Fisioterapia, Fonoaudiologia, Nutrição, Odontologia e Terapia Ocupacional. A implantação do campus teve ativa participação do governo de Sergipe, que, além de transferir o Hospital à UFS, colaborou com a disponibilização de unidades de saúde. Foram duas Clínicas de Saúde da Família e uma Farmácia Popular, além da estrutura do Samu. Com essas medidas, foram investidos no total mais de R$ 23 milhões. 

O governo realizou, ainda, a reforma do Colégio Abelardo Romero, que foi cedido para o funcionamento provisório do campus. Para a construção das instalações da universidade, foram doadas pelo Estado quatro áreas de 387 mil m² no valor de R$ 1.949.708,03. A participação do governo se deu ainda pela abertura e pavimentação da Avenida Marcelo Déda Chagas, que dá acesso ao Campus Professor Antônio Garcia Filho. Com essa ação, foram investidos R$ 2.835.664,03. No total, o governo de Sergipe investiu cerca de R$ 30 milhões na implantação. 

Fonte: JL Política


Nenhum comentário:

Postar um comentário