26 de out de 2017

CNBB PEDE POVO NA RUA CONTRA A CORRUPÇÃO

Conselho da Confederação Nacional dos Bispos do Brasil divulga três notas duríssimas em crítica aos retrocessos promovidos pelo governo Temer, que afeta "tanto a população quanto as instituições brasileiras", após conferência realizada entre 24 e 26 de outubro; "A barganha na liberação de emendas parlamentares é uma afronta aos brasileiros", atestam o cardeal Sergio da Rocha, Dom Murilo S. R. Krieger e Dom Leonardo Ulrich Steiner, presidente, vice-presidente e secretário-geral da CNBB, respectivamente; os líderes religiosos ressaltam ainda que "só uma reação do povo, consciente e organizado, no exercício de sua cidadania, é capaz de purificar a política, banindo de seu meio aqueles que seguem o caminho da corrupção e do desprezo pelo bem comum"; outras notas falam sobre "vencer a intolerância e o fundamentalismo" e condena a portaria de Temer sobre o trabalho escravo.

Após conferência realizada entre os dias 24 e 26 desta semana, o Conselho da Confederação Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) divulgou três notas duríssimas contra o governo de Michel Temer.

Nota sobre o atual momento político, assinada por Sergio da Rocha (arcebispo de Basília), Dom Murilo S. R. Krieger (arcebispo de São Salvador da Bahia) e Dom Leonardo Ulrich Steiner (bispo auxiliar de Brasília), presidente, vice-presidente e secretário-geral da CNBB, respectivamente, aponta que os retrocessos do atual governo afetam "tanto a população quanto as instituições brasileiras".

"A barganha na liberação de emendas parlamentares é uma afronta aos brasileiros", atestam os líderes religiosos. Eles acrescenta que a retirada de indispensáveis recursos em áreas como saúde, educação e programas sociais "aprofunda o drama da pobreza de milhões de pessoas". "O divórcio entre o mundo político e a sociedade brasileira é grave", ressaltam.

"É grave tirar a esperança de um povo. Urge ficar atentos, pois situações como esta abrem espaço para salvadores da pátria, radicalismos e fundamentalismos que aumentam a crise e o sofrimento, especialmente dos mais pobres, além de ameaçar a democracia no País", alertam.

Os líderes da CNBB ressaltam ainda que "só uma reação do povo, consciente e organizado, no exercício de sua cidadania, é capaz de purificar a política, banindo de seu meio aqueles que seguem o caminho da corrupção e do desprezo pelo bem comum".

Fonte: Brasil 247


Nenhum comentário:

Postar um comentário