27 de set de 2017

EXONERAÇÕES À VISTA: Prefeitura de Lagarto deverá reduzir a folha de pagamento

Com a necessidade do município de Lagarto se adequar à Lei de Responsabilidade Fiscal, o prefeito Valmir Monteiro anunciou nesta segunda-feira que decidiu fazer um “enxugamento”.
A prefeitura de Lagarto deverá tomar as mesmas medidas emergenciais adotadas pelos administradores de Canindé e Tobias Barreto. Com a necessidade do município de Lagarto se adequar à Lei de Responsabilidade Fiscal, o prefeito Valmir Monteiro anunciou nesta segunda-feira que decidiu fazer um “enxugamento” na folha de pagamento.

Segundo o secretário de comunicação, Aloísio Andrade (Prefeitinho) existe um limite prudencial de gastos para os municípios. A prefeitura pode comprometer até 54% da receita líquida com a folha de pagamento, e nesse momento Lagarto tem um investimento nessa área de 62%, estando 8% acima do permitido, o que pode gerar problema para o município e consequentemente para o gestor.

A prefeitura só dispõe de duas saídas para solucionar esse problema: exonerar servidores e cortar as gratificações ou aumentar a arrecadação.
Entretanto, a prefeitura está com um déficit muito grande nas arrecadações, apenas 50% das arrecadações foram recebidas.

Cada secretário irá trazer um estudo de sua secretaria para saber qual a melhor forma de fazer esse enxugamento e juntamente com o prefeito na reunião da próxima sexta-feira (29) será definido oficialmente. A previsão é que no dia 1° de outubro prefeitura já esteja regularizada.

O prefeito não quer enganar, criar a expectativa da pessoa estar empregada, ganhar a gratificação, e não receber em dia, por isso está tomando essa medida”, afirma Prefeitinho.


20 de set de 2017

Residencial do Bairro Alto da Boa Vista será inaugurado no próximo dia 20 de outubro

Em reunião na ultima  segunda-feira, 18, a Secretaria Municipal do Desenvolvimento Social, informou que a inauguração das casas do Residencial João Almeida Rocha, já tem data de entrega: 20 de outubro de 2017. São 544 famílias que realizarão o sonho da casa própria, proporcionado através do Programa Minha Casa, Minha Vida do Governo Federal em parceria com a Prefeitura Municipal de Lagarto. O sorteio das casas acontecerá no 17 de outubro.

O anúncio da entrega foi feito pelo próprio prefeito Valmir Monteiro e a secretária e primeira-dama Andresa Nascimento, após a garantia do gerente geral do Banco do Brasil em Lagarto da finalização total das obras dentro de poucos dias. O Banco é o responsável pelo financiamento do residencial.  O prefeito Valmir também anunciou que enquanto não há o calçamento ou asfalto, por falta de recursos financeiros da Prefeitura no momento e para não atrasar a entrega, o Município irá realizar uma pavimentação com pó de brita e rolo compressor, que minimizará a poeira e a lama da estrada que dá acesso às casas localizadas no Bairro Alto da Boa Vista.

Outra notícia dada pelo gestor é que para as casas dos residenciais do Minha Casa Minha Vida, localizados próximos à Estação e ao Matadouro Municipal que foram entregues, mas que não houve ocupação, haverá uma nova seleção para que as famílias carentes possam morar futuramente.

Na reunião os beneficiários assinaram um termo de responsabilidade e compromisso: quanto à sua renda, de que não possui imóvel em seu nome, de que o imóvel se destina para a sua própria moradia, não podendo aluga-lo ou cedê-lo. O não cumprimento desses itens o morador terá que devolver a casa e no caso de falsidade no preenchimento do cadastro, cabe abertura de inquérito pela Polícia Federal.

Presidente Ibrain Monteiro vem pagando passivos trabalhistas deixados por gestões anteriores

A lei que garante esse retroativo infelizmente não foi cumprida, em sua totalidade, pela antiga presidenta da Câmara de Vereadores de Lagarto.
A gestão de Ibrain Monteiro, comprometida com a legalidade e com a manutenção da dignidade e da valorização do servidor público, vem garantindo a atualização salarial dos anos anteriores. A lei que garante esse retroativo infelizmente não foi cumprida, em sua totalidade, pela antiga presidenta da Câmara de Vereadores de Lagarto.
“A grande vantagem que o Legislativo Municipal tem nessa regularização da situação dos passivos trabalhistas, inicialmente, é contar com um servidor que vai trabalhar motivado, desenvolvendo o seu trabalho sem a preocupação com esses valores que deixaram de ser pagos e com isso comprometeram a sua vida financeira”, analisou o presidente Ibrain Monteiro.
“Outra questão é que essas dívidas, esses débitos, acabam indo parar na Justiça e isso redunda em pagamento de multas, e gera maior impacto financeiro. Não queremos fazer da Câmara uma escola de multas. Mesmo que esse problema tenha se arrastado há uma década, entendemos que a casa do povo como é um ente público e impessoal”, concluiu.
A valorização do servidor está marcada na Administração de Ibrain Monteiro, primeiro na sua atualização salarial e agora com o pagamento dos passivos trabalhistas. Além, é claro, de toda a modernização tecnológica pela qual a Câmara passou, com a sua informatização através de tablets e Tv’s para facilitar a sessão e as votações de projetos e requerimentos.