12 de mai de 2016

Novo sistema otimiza abastecimento de oxigênio para o Hospital Regional de Lagarto

O Hospital Regional Monsenhor João Batista de Carvalho Daltro (HRL), em Lagarto, na região Centro-Sul de Sergipe, passou a contar esta semana  com um novo sistema de abastecimento de oxigênio  medicinal. O novo sistema, que utiliza um tanque com capacidade para quase 13 mil metros cúbicos, substitui ao anterior, à base de cilindros.

O primeiro carregamento do  reservatório foi  feito  na  tarde de ontem quarta-feira (11). “Primeiro realizamos  o resfriamento do tanque, que levou cerca de cinco horas e depois, o abastecimento propriamente dito, cuja operação  durou entre uma hora a uma hora e 40 minutos”, explicou Amaro da Silva  Xavier, técnico industrial  da CR Oxigênio, Gases e Equipamentos, empresa responsável  pelo fornecimento do produto.

Depois da primeira carga, o sistema já começou a ser  utilizado pela  unidade, gerenciada pela Fundação Hospitalar de Saúde (FHS). O novo equipamento  permite otimizar o fornecimento de oxigênio medicinal para o HRL, de acordo ainda com o técnico. “Agora,  devemos  fazer apenas um abastecimento  por mês, a depender da demanda  do hospital”, disse.
Segundo ele,  uma reserva técnica,  pelo antigo  sistema de cilindros, será mantida, mesmo com a implantação do novo tipo de abastecimento.  “Vamos  fazer um backup de 10 cilindros,  para que possa ser acionado numa eventual necessidade e a demanda do hospital não sofra nenhum tipo de interrupção”, explicou. “Esse novo sistema é  mais confiável e seguro em relação ao anterior, que exigia esforço físico e o manuseio constante dos cilindros”, ressaltou Amaro Xavier.

Sistema antigo
Antes da implantação do  reservatório, o fornecimento  de oxigênio do HRL  era feito à base de cilindros. “Utilizávamos de 40 a 50 cilindros, por 24 horas, cada um com capacidade de 10 metros cúbicos, o que exigia que o abastecimento fosse praticamente diário”, salienta  Izac Pereira Rodrigues, chefe de Manutenção de Gasometria  do Hospital Regional de Lagarto.
O oxigênio medicinal é um gás inodoro, insípido e tem diversas aplicações em sistemas de manutenção da vida, como nos casos de sufocamento e ataque cardíaco, em anestesia, no tratamento de problemas respiratórios, intoxicação por monóxido de carbono, gangrena gasosa e outras afecções. É fornecido em cilindros,  na forma gasosa, mas pode também se apresentar na forma líquida, para altos consumos.
É especialmente utilizado em oxigenoterapia, nos doentes do foro respiratório, com o objetivo de manter os níveis de oxigenação adequados para evitar a hipoxemia (baixa concentração de oxigénio no sangue).

Tito Lívio de Santana
Assessor de Imprensa
Hospital Regional de Lagarto


Nenhum comentário:

Postar um comentário