18 de jun de 2015

Saúde e UFS assinam Termo de Cooperação para a Federalização do Hospital de Lagarto e para parceria com o CER IV



UFS exercerá atividades na unidade no prazo de um ano.
                                                                                                                          Por: Acácia Mérici
Um desejo que virou realidade. Na manhã desta quarta-feira, 17, o secretário de Estado da Saúde, José Sobral, e o reitor da Universidade Federal de Sergipe (UFS), Antônio Ângelo Antoniolli, assinaram o Termo de Cooperação para a Federalização do Hospital Regional Monsenhor Batista de Carvalho Daltro (HRL), em Lagarto, e a parceria para a contribuição no avanço dos processos de trabalho na consolidação do Centro Especializado em Reabilitação Nível IV (CER IV).
Segundo o reitor Ângelo Roberto Antoniolli, o diálogo entre a UFS, a SES e a Fundação Hospitalar de Saúde (FHS) para debater sobre o primeiro passo efetivo da Federalização do Hospital Regional de Lagarto, com a cessão de sua estrutura física à UFS, iniciou no ano passado. Após a assinatura do Termo de Cooperação, a previsão é que, dentro de um ano, todo o processo burocrático seja concretizado e a UFS possa assumir as atividades dentro da unidade.

"É de grande importância da Federalização do Hospital de Lagarto para a ampliação dos serviços de saúde na região. Queremos dar total transparência ao processo de transição do gerenciamento da unidade, até que ela passe a ser administrada plenamente pela Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (EBSERH), que assume a responsabilidade pelos 56 Hospitais Universitários de todo o Brasil", comentou.
Para o reitor, a Federalização do HRL trará enormes benefícios aos acadêmicos das áreas de saúde, para o usuário do Sistema Único de Saúde (SUS) e para a população de Lagarto.
"Sem dúvida, será aberto um amplo leque de oportunidades. Estamos fazendo um acordo onde o hospital passa a fazer parte das ações da universidade. Estamos integrando essa ação para que os alunos da área da saúde tenham mais um espaço para desenvolver as atividades, concretizando a ideia de ensino e serviço", destacou Ângelo Antoniolli.
Atualmente, o Hospital Regional de Lagarto é gerenciado pela Fundação Hospitalar de Saúde e garante a assistência aos usuários do SUS residentes na região Centro Sul de Sergipe. A unidade oferta serviços de saúde principalmente nas áreas de clínica geral, ortopedia, pediatria e cirurgias geral e ortopédica, conta com uma Unidade de Tratamento Intensivo (UTI) com 10 leitos e 1 de isolamento e, apenas no primeiro quadrimestre deste ano já realizou quase 55 mil procedimentos de urgência e emergência, entre consultas especializadas, administração de medicamentos, atendimentos de enfermagem em geral e tratamentos clínicos de traumas ortopédicos, entre outros. No mesmo período, também ofertou pouco mais de 54 mil exames, entre laboratoriais clínicos e diagnósticos por imagem, bem como quase 1.260 internações e realizou quase 400 cirurgias, das quais 300 somente em ortopedia.
"A oportunidade de ter a Universidade Federal de Sergipe como nossa parceira na Saúde é uma honra. O Hospital Regional de Lagarto é um dos equipamentos mais importantes da nossa rede e, federalizado, ampliará ainda mais seus serviços, sendo um grande exemplo de hospital-escola. Ele está pronto para ser instrumento de ensino e pesquisa para os acadêmicos, o que reforçará ainda mais a assistência ao povo sergipano. Fico muito feliz em ver que estamos avançando para, em uma parceria como esta, ofertar um serviço cada vez mais qualificado, uma vez que um dos grandes focos da UFS é ampliar o leque de especialidades para a população. Ganham os acadêmicos da UFS, ganha o povo de Lagarto e região, ganham os profissionais e, principalmente, fortalece o SUS", comemorou o secretário de Estado da Saúde, José Sobral.

Centro Especializado em Reabilitação
A construção do CER IV está em andamento e, futuramente, será um espaço que vai marcar a excelência na atenção e no cuidado as pessoas com deficiência. O Governo de Sergipe quer entregar à população um espaço onde a multidisciplinaridade faça a diferença, os profissionais nos seus núcleos de formação diversificados consigam trabalhar em conjunto, respeitando as singularidades e construindo coletivamente um projeto terapêutico que vise a autonomia das pessoas.
As discussões junto à Universidade Federal de Sergipe e, agora, a parceria, garantem uma laço fundamental na extensão acadêmica com um olhar para a atenção em saúde pública e área especializada, visando garantir um serviço de excelência em reabilitação, minimizando busca das famílias por um espaço que acolha as necessidades terapêuticas de crianças, jovens e adultos que tenham algum tipo de deficiência.
"Estamos discutindo também a Federalização do CER IV, para passar a uma gestão mais complexa e especializada e debater com a (EBSERH para contratar profissionais. O CER IV é um importante instrumento para que nossos acadêmicos, residentes e pós-graduandos possam ter um laboratório e desempenhar seu papel adequadamente. É isso que queremos com o CER IV, dar a sustentabilidade que ele precisa. Temos que criar essa integração pensando na formação de profissionais preocupados com toda comunidade", reforça o reitor da UFS, Ângelo Antoniolli.
"Vivemos um grande movimento de construção e implantação do CER IV, que vai prestar atenção às pessoas com as deficiências física, intelectual, auditiva e visual. Será um espaço para promover a reabilitação e estimular a inserção social das pessoas com deficiência dentro da sociedade. O CER IV é um marco na construção em Sergipe. A pessoa tem uma deficiência física ou uma paralisia cerebral precisa ter uma atenção especial do fisioterapeuta, da terapia ocupacional, da fonoaudiologia em um ambiente só. A UFS vem discutindo junto com a Saúde um modelo de trabalho e funcionamento, com foco justamente para a extensão do ensino. Nada melhor que a Universidade estar junto, fazendo essa parceria para contribuir com seus profissionais, com seus alunos que estão em formação, para fortalecer a rede de atenção", destacou Alynne Franca, referência técnica da Rede de Cuidados a Pessoa com Deficiência (RCPcD) da SES.
O CER IV vai funcionar atrás do Centro de Atenção à Saúde de Sergipe (CASE), no Centro Administrativo, próximo ao Hospital Especializado em Câncer Governador Marcelo Déda Chagas. Ele abrigará, também, uma oficina ortopédica para atender às demandas de órteses e próteses do usuário do Sistema Único de Saúde.
Emocionada, a assessora da Casa Civil, Eliane Aquino, pontuou que a consolidação da parceria entre UFS e Secretaria de Saúde é um marco importante na construção de uma estrutura como o CER IV.
"Essa parceria é importante para que os alunos que estão saindo da Universidade estejam cada vez mais preparados para lidar com o mercado de trabalho e que consigam olhar com muito mais conhecimento técnico e humano para as pessoas com deficiência, mostrando que elas têm segurança no atendimento. Nosso desejo é fazer com que esse Centro de Reabilitação funcione muito bem e que não seja uma casa do Governo do Estado. Mas, sim, que seja do Estado de Sergipe. O CER IV é um sonho antigo, que está se formando, e nascerá para fazer a diferença", comemorou Eliane Aquino, que fez alguns agradecimentos.
"Quero agradecer à Universidade, aos profissionais da Secretaria de Estado da Saúde que estão se envolvendo com muito empenho, ao governador Jackson Barreto, que é um grande apoiador para as causas sociais, e ao secretário José Sobral que abraçou a causa de forma muito aberta e corajosa. Que sejamos cada vez mais comprometidos para mostramos que, em Sergipe, é possível fazer, de verdade", enalteceu.
Ainda de acordo com o secretário de Estado da Saúde, José Sobral, é preciso cada vez mais mostrar o quanto o SUS é forte e vem ampliando as dimensões e parcerias para levar o atendimento a todos os públicos.
"Esse foi um dos momentos mais importantes e felizes que passei desde quando assumi a gestão da Saúde no início do ano. É muito gratificante compartilhar essa alegria. A parceria da UFS para o CER IV e para a Federalização do Hospital de Lagarto é um momento histórico e muito importante para Sergipe. Eliane Aquino acompanha essa luta do Estado e dá uma grande contribuição com o seu trabalho e com suas ideias. Ela é uma fonte inspiradora para construir e criar estruturas que possam ter o cunho social e a defesa social por conta da sociedade. Ajuda a formar a consciência política da população. Esse trabalho é um grande benefício", declarou José Sobral.
Ainda segundo o gestor Estadual da Saúde, "é preciso mostrar o que o SUS faz pelo povo. Esse momento da Universidade também é uma conquista. Com Federalização do Hospital de Lagarto, a melhoria da qualidade e a Universidade dando apoio ao CER IV, é um grande sonho. Acreditamos muito na Universidade e o que pudermos fazer para participar e envolver na condução desse processo, será de grande valia. A participação da UFS em Lagarto, no CER IV e também no HU, como já vem sendo feito, dará um reflexo extraordinário para a população. O HU está crescendo consideravelmente e é o único hospital hoje, abrangendo o público, o privado e filantrópico que tem condições para entrar na área de área de transplantes. Este caminho de parcerias é a complementação importantíssima para Sergipe continuar avançando cada vez mais no atendimento ao usuário do SUS".

Nenhum comentário:

Postar um comentário