18 de ago de 2014

As Eleições e as Surpresas que vem Surgindo


  
Este ano teremos eleições para os cargos de Governador, Senador, Deputado Federal e Estadual em todo o País, no entanto muitas das coligações estão se misturando, coisa que não víamos com tamanha frequência em eleições passadas, onde um grupo politico, não aceitava que seus seguidores (eleitores fanáticos, antigos votos de cabrestos), votassem em candidatos que não fossem de sua chapa ou coligação, isso acontecia principalmente em cidades pequenas, a exemplo de nossa Lagarto, onde a rivalidade politica se transformava numa verdadeira guerra pelo poder, inclusive parentes próximos (até irmãos) disputavam os mesmos cargos em diferentes coligações, que ao longo da campanha trocavam farpas e difamações, isso tudo pelo poder e para chegar ao poder.

  Porém o que temos notado aqui em Lagarto é o inicio de uma nova geração de políticos e principalmente a mudança do eleitor para com suas opções de votar, hoje cada eleitor esta fazendo valer seu direito de votar, esta votando em quem acha que merece o voto, diferente de anteriormente, onde acompanhavam de cima a baixo a chapa que o seu partido ou grupo a que pertencia indicava, é claro que ainda permanece a fidelidade e o compromisso, pois alguns ainda votam pelo favor recebido ou por questões variadas.
  Ainda não esta sendo a eleição que sonhamos, onde o voto vai ser dado pela obrigação de patriotismo, mas muita coisa já mudou e ainda outras mudanças irão acontecer daqui pra frente, ainda se vota pelo assistencialismo, (é dando que se recebe), outros votam por troca de algum beneficio, enfim os fatos mostram que em mais alguns anos tudo isso vai acabar e iremos às urnas com a cabeça erguida e escolher as pessoas que estão preparadas para os cargos públicos que pleiteiam, estamos caminhando para vermos isto acontecer logo.
  Voltando as nossas raízes a cidade de Lagarto, onde no passado tivemos 2 grupos políticos radicais, Bole-Bole e Saramandaia, que seus lideres e seguidores não podiam se cruzarem nas ruas que era briga na certa, quem imaginaria ver hoje plotado em veículos, as candidaturas misturadas de ambos os candidatos, em cargos diferentes, porém dos grupos adversários ferrenhos do passado, que muitas das vezes faziam questão de dizer em palanques para ficar registrado, que óleo e agua não se misturam. A rivalidade por aqui de duas décadas pra cá aumentou com o surgimento de uma terceira via politica, temos três grupos políticos que ao longo desses quase 20 anos vem medindo forças para saber quem é o mais votado, e quem de fato vai chegar ao poder, no entanto nesta eleição, não que seja diferente, mas vemos os eleitores optarem por não votar na chapa fechada que apresentam os três candidatos a deputado estadual de Lagarto, o eleitor faz sua opção por votar em seu estadual, mas também esta escolhendo a sua vontade própria os demais candidatos, diferente de antes que o chefe politico local impunha a candidatura goela abaixo e todos tinham que seguir.
  De fato essa é uma das mudanças que começam a surgir na politica de Lagarto e consequentemente tende a se espalhar pelo País afora, visto que outras mudanças têm acontecido ao longo dos anos, a exemplo do tempo de campanha, antes visto aqui que quando se encerrava uma campanha já se iniciava outra, onde os custos dos candidatos eram um absurdo, e de onde vinha tanto dinheiro pra bancar uma campanha tão longa? quem pagava a conta de campanha? E quem perdia a eleição como se recuperar do buraco financeiro que entrava? Enfim vários cidadãos ricos acabaram pobres por conta do que gastavam nas campanhas e nunca conseguiam se erguer financeiramente.
  Temos conseguido superar tamanhas preocupações e por fim a era coronelista onde os chefes políticos ditavam as regras e os eleitores, eram sujeitos ou obrigados a seguir a risca, sem contar que ficavam visados e rotulados pelo grupo adversário e caso seus candidatos não fossem eleitos eram perseguidos durante todo o cumprimento do mandato, essa praxe era seguida por todos os lados políticos. Hoje com a mistura politica a coisa modificou um pouco, afinal a escolha é livre e o eleitor pode optar em votar num candidato do Grupo A e outro do grupo B, daí sendo eleito qualquer que seja, o eleitor não será tão perseguido e rotulado como antes, é um avanço mais ainda não é o ideal e o que queremos para nossos filhos.
Jose Raimundo da Silva
Jornalista DRT 1558

Nenhum comentário:

Postar um comentário