24 de dez de 2013

Laércio Oliveira é avaliado pela Revista VEJA como o 3º melhor deputado do Brasil

Na edição dessa semana, a revista Veja elaborou o "ranking do progresso", que colocou o deputado federal Laércio Oliveira (Solidariedade/SE) como o terceiro melhor deputado do Brasil, que mais trabalhou em 2013 por um país moderno e competitivo. O ranking é feito a partir do posicionamento de deputados federais e senadores em relação a propostas de ajuste na legislação brasileira capazes de contribuir para a consolidação de um país mais moderno e competitivo, segundo os critérios da revista e da Editora Abril. A iniciativa, pioneira no Brasil, leva em conta nove eixos considerados fundamentais para que se alcance tal objetivo - da diminuição da carga tributária ao aprimoramento das relações entre empregadores e empregados.
“Fico pensando em tudo que fizemos em 2013 e chego a conclusão de que é possível ser um bom parlamentar sem extrapolar os limites do respeito, da obediência cívica e da educação. O orgulho de ser deputado federal é o que me alimenta a cada dia. É a vontade de traduzir em cada atitude a importância do voto de confiança que recebi dos sergipanos que acreditaram nas minhas palavras e a consciência de que não tenho o direito de decepcionar nenhum deles, inclusive daqueles que não votaram em mim”, disse Laércio Oliveira.

Segundo a revista, em parceria com o Núcleo de Estudos sobre o Congresso (Necon), do Instituto de Estudos Sociais e Políticos da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Iesp-Uerj), VEJA se debruçou sobre 243 proposições de maior relevância entre as centenas de projetos de lei, medidas provisórias e propostas de emenda à Constituição que tramitaram na Câmara e no Senado em 2013. Classificou, então, aquelas que se enquadravam, favorável ou desfavoravelmente, nos nove temas predeterminados. Sobre essa lista, o Necon trabalhou com uma metodologia que desenvolveu levando em conta todas as etapas e caminhos de uma proposição, de sua gênese aos trabalhos dentro das comissões, até o voto final, com peso específico para cada uma das fases.
Antes, porém, da entrada em cena do Necon, a revista aplicou uma "cláusula de ética" na relação dos parlamentares responsáveis pelas proposições, expurgando aqueles envolvidos em escândalos ou de reputação duvidosa. Para tanto, VEJA se valeu de critérios próprios e de levantamentos da Transparência Brasil, organização independente e autônoma comprometida com o combate à corrupção. O resultado foi submetido à minuciosa análise do advogado Alexandre Fidalgo, do escritório EGSF, que se aprofundou na situação de deputados e senadores tendo em vista a Lei da Ficha Limpa, que passou a vigorar, em eleições, a partir de 2012, controlando o acesso ao Congresso de políticos desonestos.

De acordo com o autor do texto, o professor e pesquisador do Iesp-Uerj e coordenador do Necon, Fabiano Santos, o perfil dos congressistas que acabaram recebendo uma melhor pontuação no ranking de 2013 é de parlamentares que exibem em seu currículo uma vasta experiência política, dentro e fora do Legislativo. “É comum ouvirmos o comentário de que a política brasileira é mal estruturada e que no Congresso se juntam aventureiros preocupados em defender apenas os próprios interesses. Muito distante dessa visão é a realidade que emerge dos dados sobre os quais nos detemos. Os parlamentares, à margem do toma lá dá cá, revelaram neste ano um forte empenho em torno de causas cruciais para o desenvolvimento econômico do país, numa atuação tanto mais eficaz quanto maior a experiência em termos de mandatos cumpridos”, informou.

Nenhum comentário:

Postar um comentário