26 de set de 2012

Catarinense de 20 anos leiloa virgindade pela internet

A catarinense Catarina Migliorin, 20, está leiloando sua virgindade pela internet e diz que usará dinheiro para construir casas populares. "O que eu posso te dizer agora é que o leilão, para mim, é um negócio. Mas não deixei de ser romântica de forma alguma", diz a garota, que no momento está em um hotel na Indonésia filmando um documentário sobre o assunto.
 
Fui chamada até de cafetina; não apoio, mas estou com ela, diz mãe
No início, a mãe de Catarina achou que a participação da jovem em um leilão da virgindade fosse brincadeira. "Não achei que ela fosse levar a sério", afirma a mãe, que pede para não ser identificada para preservar a família. Ela conta que tentou conversar com a filha sobre o assunto. "Eu falava para ela: pensa bem, você está mesmo a fim de fazer isso? Eu nunca falei: vai. E não posso falar: não, não vai. Mas, no fundo, não gostaria que ela fosse." A mãe, que mora em Itapema, no litoral de Santa Catarina, diz ainda respeitar a decisão da filha. E afirma que tenta relevar as críticas. "Não achei que fosse ter a importância que teve. Já me chamaram até de cafetina. Não apoio a decisão, mas estou junto com ela porque a amo incondicionalmente. Eu sei que ela é uma boa pessoa. Sempre falo: filha, você não é obrigada a nada. Ela fala: mãe, fica tranquila", conta.
Segundo a mãe, a filha, que é tímida e adora ler, sempre teve a intenção de ajudar o próximo. "Ela tem uma causa. Eu não sei como ela vai fazer [o projeto para construção de casas], mas sei que, quando ela quer, ela faz." Para a psicanalista Regina Navarro Lins, autora de livros sobre amor e sexo, comercializar o próprio corpo é um direito. "Não vejo problema nenhum. O que acho espantoso é ainda existirem homens dispostos a pagar para romper um hímen", afirma. Fonte: Bol
(NATÁLIA CANCIAN E FELIPE LUCHETE)


Nenhum comentário:

Postar um comentário