1 de jul de 2012

Hospital Regional de Lagarto completa dois anos amanhã dia 02 de julho

Ao completar dois anos de funcionamento, amanhã, segunda-feira, 2, o Hospital Regional de Lagarto ‘Monsenhor João Batista de Carvalho Daltro (HRL) já se configura como uma das unidades mais resolutivas da rede hospitalar de urgência e emergência de Sergipe. Além disso, já pode ser considerado um exemplo bem sucedido da regionalização da assistência e do respeito aos princípios básicos do Sistema Único de Saúde (SUS). É o que apontam os relatórios gerenciais e de produção da unidade hospitalar desde que foi fundada.

O Hospital em números - De janeiro a dezembro de 2011, o Hospital Regional de Lagarto realizou mais de 106 mil atendimentos de urgência e emergência. No mesmo período, foram atendidos mais de 57 mil pacientes.  Já nos primeiros quatro meses deste ano, foram realizados  mais de 63 mil procedimentos de urgência e emergência e atendidos em torno de 26 mil pacientes. Em 2011, o hospital fechou o ano com uma taxa média mensal de transferência externa de 1,7%, ou seja, em torno de 98% dos usuários do Sistema Único de Saúde (SUS) que procuraram a assistência nesta unidade tiveram os problemas de saúde resolvidos no próprio Hospital. O mês de agosto passado foi aquele no qual a unidade registrou a menor taxa de transferência, atingindo apenas 1,1% dos pacientes atendidos no período. 
Além dos atendimentos de urgência e emergência realizados no ano passado, entre procedimentos clínicos e de enfermagem, consultas especializadas e administração de medicamentos, o Hospital Regional de Lagarto foi responsável, no mesmo período, por cerca de 105 mil exames complementares, como hemogramas, sumários de urina, eletrocardiogramas (ECG) e tomografias computadorizadas, solicitados tanto pelo pronto-socorro quanto pelas áreas de internamento. Somente os diagnósticos laboratoriais clínicos totalizaram 89.702, enquanto no mesmo período foram realizados 12.950 exames de raio-X. Já o número de internações chegou a 2.181 em 2011.
Para o secretário de Estado da Saúde, Sílvio Santos, esses números conferem um significado especial ao Hospital Regional de Lagarto. "Essa resolutividade é um exemplo que precisamos multiplicar. As unidades regionais têm estrutura para atender muitos dos casos no próprio local, sem a necessidade de transferir o paciente para o Huse, por exemplo. E é isso que vamos reforçar: o fortalecimento da unidade da rede estadual de urgência e emergência.  Existe um estrutura muito boa, com servidores muito bons e precisamos fazer com que ela funcione plenamente, a exemplo do Hospital do Lagarto". 
De acordo com o diretor-geral da Fundação Hospitalar de Saúde, João Lima Júnior, "a nova gestão da FHS tem o compromisso de trabalhar para melhorar ainda mais os resultados obtidos até agora pelo Hospital Regional de Lagarto. Como já visitamos a unidade, vamos trabalhar para fortalecê-la e, a partir de uma gestão de leitos mais qualificada, torná-la ainda mais resolutiva na assistência aos usuários do SUS nesta região”, frisou.
Para o superintendente do Hospital Regional de Lagarto, Fábio Mendes Fernandes, os números alcançados pela unidade em 2011 e que se mantêm este ano, são o retrato, também, do compromisso da gestão e de todos os profissionais com a qualificação no atendimento. “Grande parte dessa resolutividade deve-se ao empenho de toda a equipe, desde os gestores, ao corpo clínico, pessoal de enfermagem e demais profissionais de saúde do hospital’, ressalta. “É uma equipe capacitada a realizar o trabalho, com base nas políticas preconizadas pelo Ministério da Saúde e pelo Governo de Sergipe, por meio da Secretaria de Estado da Saúde [SES]”, salienta.
Regionalização - Fruto de um investimento total de R$ 22.091.970,70 por parte do governo sergipano, o Hospital de Lagarto garante uma cobertura assistencial a uma população estimada em 250 mil habitantes, beneficiando  usuários do Sistema Único de Saúde (SUS) que residem nos seis municípios da Regional Centro Sul de Saúde: Lagarto, Poço Verde, Riachão do Dantas, Salgado, Simão Dias e Tobias Barreto. Além destes,  o  HRL também tem atendido pacientes de outros municípios sergipanos, como Itabaiana, São Domingos, Campo do Brito, Frei Paulo, Macambira, Estância, bem como de cidades fronteiriças da Bahia, como Paripiranga,  Itapicuru, Adustina,  Fátima e  Nova Soure,  dentre  outros. 
Desde que foi inaugurado, há dois anos, o Hospital Regional de Lagarto inaugurou inúmeras frentes de serviços até então inéditos para uma unidade pública do interior do estado. Ele passou a oferecer à população serviços que eram disponibilizados somente em centros de saúde de Aracaju. A começar pela implantação da primeira Unidade de Terapia Intensiva (UTI) fora da capital, equipada com 10 leitos, além de mais cinco semi-intensivos.
Além da UTI, o hospital também conta com os benefícios do primeiro aparelho de tomógrafo a funcionar pelo SUS fora da capital. Fruto de um contrato firmado entre a FHS e uma clínica do município, o tomógrafo tem possibilitado à unidade resolver também os casos de Acidente Vascular Cerebral (AVC) Isquêmico (onde não há a necessidade de tratamento cirúrgico) acolhidos. 
Quadro funcional - Para assegurar todos esses serviços,  a unidade hospitalar, que oferta serviços em sete especialidades médicas (Cirurgia Geral, Pediatria, Clínica Médica, Infectologia, Ortopedia, Ultrassonografia e Nefrologia), além de três que integram a chamada equipe multidisciplinar - Serviço Social, Fisioterapia e Nutrição - , conta em seu quadro funcional com aproximadamente 450 funcionários, entre médicos, pessoal de enfermagem e profissionais que atuam em várias áreas do hospital. 
E muitos desses profissionais  reconhecem o avanço que a saúde pública da região Centro Sul do Estado obteve a partir da implantação do  HRL. “Como filho da terra e por ter observado o crescimento deste hospital desde a sua inauguração, posso dizer que a cidade de Lagarto e suas regiões circunvizinhas obtiveram um ganho de extrema magnitude. É muito gratificante saber que hoje a população pode ser assistida em qualquer instância de gravidade, com um atendimento digno e com todo o suporte necessário para resolver sua necessidade”,  sintetiza Jardel Martins Vasconcelos, enfermeiro e coordenador de Internamento da unidade.
Avanços - O Hospital Regional ‘Monsenhor João Batista de Carvalho” vem ampliando a assistência aos usuários do SUS. No início deste ano, por exemplo, a unidade implantou um serviço pioneiro no interior sergipano, o de hemodiálise intra-hospitalar, destinado a pacientes graves internados na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) ou nas alas Vermelha e Amarela que tenham quadro de insuficiência renal crônica. Antes, este serviço somente era disponibilizado no Hospital de Urgência de Sergipe (Huse), em Aracaju.
O Hospital ampliou ainda mais o leque de serviços ofertados à população, com a ativação do Centro Cirúrgico. A unidade dispõe de quatro salas cirúrgicas, aparelhadas com  mesas, arcos e focos cirúrgicos, bisturis elétricos e carros de anestesia, além de uma Sala de Recuperação Pós-Anestésica (SRPA) com cinco leitos. Somente em equipamentos, o Governo de Sergipe, por meio da Secretaria de Estado da Saúde (SES), investiu na unidade cirúrgica em torno de R$ 1,5 milhão. 
Esses e outros  avanços  são destacados como significativos por gestores do hospital, que os reconhecem como essenciais para a consolidação da Reforma Sanitária e Gerencial do SUS implementada desde 2007 pelo  Governo de Sergipe, por meio da Secretaria de Estado da Saúde. “Novas tecnologias foram incorporadas ao hospital nesses dois anos como a UTI, a Semi-Intensiva, o serviço de  hemodiálise para pacientes críticos internos e mais recentemente o Centro Cirúrgico. Outra alegria é ver o hospital sendo espaço de pesquisa, estágio para os alunos dos cursos técnicos e superiores da Universidade Federal de Sergipe em Lagarto”, ressalta Sônia Maria dos Santos, em alusão ao processo de implantação do hospital-escola no HRL, vital para interiorização da Medicina.

Por Tito Lívio de Santana
Fotos: Bruno César e Ricardo Pinho

Nenhum comentário:

Postar um comentário