26 de jan de 2012

Laércio fala na Ilha FM sobre processo eleitoral e faz balanço de mandato


O deputado federal Laércio Oliveira (PR/SE) concedeu entrevista ao programa de Gilmar Carvalho na Ilha FM, na quarta-feira, 25. Entre os temas debatidos, o problema de mobilidade urmana de Aracaju, a sua possível candidatura a prefeito da capital e a redução de IPI para os taxis lotação.
Ao ser questionado se é pré-candidato a prefeito de Aracaju, o parlamentar afirmou que o seu nome está à disposição, mas é o grupo que vai decidir o nome mais indicado para a disputa. "Nosso agrupamento político tem essa carcterística, de decidir tudo em conjunto", afirmou.
Sobre a moblidade urbana em Aracaju, o parlamentar desacou que esse é um problema sério em todo o país. "Precisamos de alternativas viáveis para facilitar a vida do aracajuano, como por exemplo, diminuir os canteiros e aproveitar o rio Sergipe para locomoção em embarcações", disse o parlamentar, acrescentando que é preciso também melhorar o transporte público da cidade. "Eu já peguei ônibus em vários bairros de Aracaju e das redondezas para sentir de perto a dificuldade da população para chegar aos seus tabalhos todos os dias. Esse é um problema que precisa ser resolvido", disse.
O parlamentar destacou ainda que os taxis lotação têm um importante papel na locomoção da população, por isso ele defende a categoria. Recentemente, por exemplo, ele apesentou um projeto de lei para isenção de  Imposto sobre Produtos Industrializados – IPI na compra de veículos pra taxis lotação seja cumprida. "A lei 8.989, que dispõe sobre a isenção é interpretada de maneira equivocada por secretarias municipais e a Receita Federal que deixam de aplicar o direito aos motoristas profissionais de taxi lotação", disse.
Respondendo uma pergunta do ouvinte, o deputado falou ainda sobre dois projetos de autoria do ex-deputado José Carlos Machado sobre venda e distribuição de gás de cozinha que ele reapresentou na Câmara. Se o PL 602/2011 for aprovado, o consumidor vai deixar de perder o resíduo que fica no vasilhame de 13 ou 45 quilos do Gás Liquefeito de Petróleo (GLP) - gás de cozinha. Já o PL-467/2011 regulamenta a venda de gás de cozinha de forma fracionada. Assim, pessoas que não têm o dinheiro suficiente para comprar o botijão inteiro, vai poder comprar apenas R$ 10 ou R$ 20 de gás.
Da Assessoria: Carla Virginia Passos

Nenhum comentário:

Postar um comentário